Icone Facebook
Icone Search
comorbidades atópicas
Home / Blog / Sobre a D.A. / Comorbidades Atópicas
Doenças associadas à Dermatite Atópica:
Eu posso ter?
Asma, rinossinusite, alergia alimentar, conjuntivite alérgica e esofagite eosinofílica.

Essas doenças também podem fazer parte da vida do paciente com dermatite atópica.1-4 A relação entre elas pode acontecer devido à predisposição genética e a um desequilíbrio imunológico chamado de inflamação tipo 2.4 Trata-se de uma resposta exagerada do sistema imunológico do paciente quando há o contato com um elemento irritante ou alérgeno, como poluição, fumaça de cigarro ou até mesmo por estresse emocional.4-6

A inflamação tipo 2, como causa comum a essas comorbidades, pode fazer com que os pacientes apresentem duas ou mais dessas doenças. No corpo, cada uma delas se manifesta de forma diferente: na pele, a dermatite atópica e as alergias alimentares; nos olhos, a conjuntivite alérgica; no pulmão, relacionada à asma; no nariz, rinite alérgica e rinossinusite crônica; e, no esôfago, relacionada à esofagite eosinofílica.1

Então é possível ter mais do que uma dessas doenças? Sim, é o que os estudos demonstram. Por exemplo, 50% das pessoas com dermatite atópica têm asma e até 35% com asma grave também apresentam dermatite atópica.7,8 Já cerca de 17% daquelas com rinossinusite crônica com pólipos nasais têm dermatite atópica e 13% dos pacientes com dermatite atópica também recebem o diagnóstico de rinossinusite crônica.9,10 Aproximadamente 50% dos pacientes com rinossinusite crônica com pólipos nasais têm asma grave e até 45% daqueles com asma grave também têm rinossinusite crônica.11-16 

Por conta desse cenário de doenças associadas, o controle dos sintomas apresentados pelos pacientes é muito desafiador, sendo necessário e importante o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. “Essa equipe deve incluir pneumologista, gastroenterologista, oftalmologista, dermatologista e imunologista ou alergista. Além disso, é de importância vital que o dermatologista discuta a ocorrência de comorbidades durante a consulta, alerte quanto à sua prevalência, levante hipóteses para sua presença e encaminhe o paciente para acompanhamento de outros especialistas sempre que julgar necessário”, afirma o dermatologista Ricardo Romiti.  

Além disso, por ser uma doença crônica e sem cura, a dermatite atópica moderada a grave deve ser acompanhada por um especialista, com necessidade de tratamento contínuo e a longo prazo a fim de evitar a progressão para estágios mais graves da doença. Leia mais sobre as classificações da dermatite atópica e seu mecanismo no corpo do paciente aqui.

Referências:

1 - Spergell JM, Paller AS. Atopic dermatitis and the atopic march. J. Allergy Clin Immunol 2003; 112: 118-27).  

2 - Sociedade Brasileira de Pediatria. Manifestações cutâneas da COVID-19 em crianças - Nota de Alerta - Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/22486c-NA_-_Manifestacoes_cutaneas_da_COVID-19_em_criancas.pdf. Acesso em: Junho 2020.

3 - Borges DB, Meireles PR, Castro FM, Kalil J, Yang A. Associações entre Dermatite Atópica e Alergia Alimentar em ambulatório especializado de um hospital terciário.

4 - N. A. Gandhi, B. L. Bennett and N. M. Graham, “Targeting key proximal drivers of type 2 inflammation in disease”, Nature Reviews Drug Discovery, vol. 15, no. 1, pp. 35-50, 16 October 2016. 

5 - S. Carr, E. Chan, and W. Watson, “Eosinophilic esophagitis”, Allergy, Asthma & Clinical Immunology, vol. 14, no. Suppl 1, p. 58, 2018.

6 - J. W. Steinke and J. M. Wilson, “Aspirin-exacerbated respiratory disease: pathophysiological insights and clinical advances”. Journal of Asthma and Allergy, vol. 9, pp. 37-43, 2016. 

7 - C. Philpott, S. Erskine and C. Hopkins, “Prevalence of asthma, aspirin sensitivity and allergy in chronic rhinosinusitis: data from the UK National Chronic Rhinosinusitis Epidemiology Study”, Respiratory Research, vol. 19, p. 129, 2018. 

8 - H. Won, Y. Kim and M. Kang, “Age-related prevalence of chronic rhinosinusitis and nasal polyps and their relationships with asthma onset”, Ann Allergy Asthma Immunol, vol. 120, no. 4, pp.389-394, 2018. 

9 - L. Rudmik and Z. Soler, “Medical Therapies for Adult Chronic Sinusitis: A Systematic Review”, JAMA Dermatology, vol. 314, no. 9, pp. 926-939, 2015. 

10 - C.Rand, R. Wright and M. Cabana, “Mediators of asthma outcomes”, J Allergy Clin Immunol, vol. 129, no. 301, pp. 136-141, 2012. 

11 - E. Simpson, E. Guttman-Yassky and D. Margolis, “Chronicity, comorbidity, and life course impairment in atopic dermatitis: Insights from a cross-sectional study in US adults”, in 25th European Academy of Dermatology and Venereology (EADV) Congress, Vienna, 2016. 

12 - D. Stull, L. Roberts and L. Frank, “Relationship of nasal congestion with sleep, mood, and productivity”, Current Medical Research and Opinion, vol. 23, no. 4, pp. 811-819, 2007. 

13 - S. Nordic, E. Blomgvist and P. Olsson , “Effects of smell loss on daily life and adopted coping strategies in patients with nasal polyposis with asthma”, Acta Oto-Laryngologica, vol. 131, no. 8, pp. 826-832, 2011. 

14 - M. Iskedjian, C. Piwko and N. Shear, “Topical calcineurin inhibitors in the treatment of atopic dermatitis: a meta-analysis of current evidence”, Am J Clin Dermatol, vol. 5, no. 4, pp. 267-279, 2004. 

15 - J. Cury Martins, C. Martins and V. Aoki, “Topical tacrolimus for atopic dermatitis (Review)”, The Cochrane Collaboration. Published by JohnWiley & Sons, Ltd., 2016 

16 - S.Meggitt, J. Gray and N. Reynolds, “Azathioprine dosed by thiopurine methyltransferase activity for moderate to severe atopic eczema: a double-blind, randomised controlled trial”, Lancet, vol. 367, no. 9513, pp. 839-846, 2006.  

Todas as imagens foram posadas por modelos.